fbpx

Quem é o Psicanalista?

No meio psicanalítico (e não só nele) observamos muitas suposições e curiosidades sobre quem é o psicanalista.

Onde habitam os psicanalistas? – Talvez, na análise (na sua ou do outro). Nas horas vagas em uma casa (pelo menos eu espero que sim).

  • Do que ele vive? – Da escuta!
  • Onde os psicanalistas se escondem?- Nos livros!
  • Análise é terapia? É psicoterapia? (Nesse caso é melhor perguntar… O que representa essa diferença ao sofrimento humano?)
  • Os psicanalistas podem ler a mente? – Seria bom… seria bom, mas não leem! O psicanalista escuta o inconsciente e para isso você vai ter que falar- e muito!
  • Ser psicanalista é uma fantasia? – Pois é, até pode ser, mas qual o “SER ALGUMA COISA” que não é?

Eu sei, existem questões bem mais complexas…

Nessa busca infinita por uma definição, o que é afinal fazer/viver a psicanálise?

O analista se faz no Divã (mas não abra mão dos complementos que estão na supervisão e no estudo teórico).

Algo é muito palpável ao psicanalista: os estudos não vão acabar ao final da “formação”. Entenda: as análises não serão suficientes; virão muitos anos de estudo teórico e a supervisão é imprescindível.

Não esqueça que a psicanálise não mora nos rótulos ou nas definições. (Definições são apenas a necessidade humana de pertencer a algo, continuação do processo de identificação do indivíduo, o que no final não é uma busca sobre ser, mas sim sobre pertencer). Psicanálise reside no que não se sabe e naquilo que não se diz. Ela mora no desejo – desconhecido ou reprimido.

Os psicanalistas são envolvidos pelas particularidades e infinitas singularidades. São trabalhadores do mundo da subjetividade, absorvidos por horas de escuta, manejando transferências, lidando com as próprias resistências, suportando a contratransferência. Nesse caminho de aprendizagem inesgotável, rico em experiências, existem algumas coisas que não se pode abrir mão, guarde como uma orientação: ética, associação livre e inconsciente.

Não corra pela psicanálise em busca de uma definição. Caminhe, questione, aprenda, sinta e devolva.

Carina Fernandes Camacho.
Instagram: @carina.camacho_psicanalista
WhatsApp: (15) 98583011

8 Comments

  1. Henrique Gusmão

    Gostei, muito boa!

  2. Cleiton Santos

    Muito boa esta reflexão! Vem de encontro para aqueles que assim desejam vivenciar a psicanálise.

  3. Elenir Da Silva santana Pessoni

    Eu ja estou sentindo em mim a esses pequenas leituras; acredito que nesse percuso ; eu terei minha imersão.e me descubrirei .
    Conhecimento e sempre bom .
    Obg profe. CARINA .

  4. Luciana Senta

    Obrigada pela reflexão compartilhada! Nada melhor que ler um psicanalista falando sobre o seu trabalho!

  5. André Luiz Campos

    Ótima reflexão dentro do percurso psicanalítico. Deixar ser e deixar fluir no caminho do auto-conhecimento.

  6. Giovani

    Ótimo, obrigado. 👍😀

  7. Cristina Dias Vaz

    Ótima reflexão, gostei muito., Espero que eu venha adquirir muito conhecimento,e mergulhar profundamente nessa jornada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *