fbpx

Associação Livre

A técnica primordial utilizada na psicanálise é a associação livre. Qualquer outra, embora possa ser importante, está impossibilitando com que a análise aconteça.

Mas o que é associação livre (ou livre associação de ideias)?

Pode parecer simples num primeiro momento: falar livremente sobre o que vier à mente. Falar sobre o que? TUDO. Tudo o que você quiser… livremente- sem regras. Falar sobre tudo o que NÃO diria, nem para um amigo, nem para VOCÊ mesmo/a.

Na psicanálise queremos revelar os conteúdos inconscientes (é deste processo que diminuem os sintomas). Proporcionamos uma fala livre, no sentido de permitir com que através do discurso, se expresse tudo aquilo que é negado, evitado e temido.

O conteúdo inconsciente não virá naturalmente. Jamais. Muito pelo contrário. Através das palavras ditas, o conteúdo já está deslocado e condensado. Mas está ali (e nós, psicanalistas, provocaremos a análise deste conteúdo). É através da liberdade que cada vez mais vão surgindo conteúdos, anteriormente negados e evitados. O psicanalista acolhe estes conteúdos, pontua e, principalmente, possibilita com que o analisando se dê conta do que está falando (acredite, na grande maioria das vezes, não escutamos o que dizemos).

E se o analisando estiver relaxado e sentir-se seguro, então… a probabilidade de que os conteúdos venham é ainda maior!

Livre associação de ideias rima com LIBERDADE. E aqui temos um grande desafio. Não estamos acostumados com ela. Talvez jamais tenhamos vivido-a. Por isso que sempre digo que uma sessão de análise é uma experiência única.

Por fim.. Nós, psicanalistas, teremos que estar com os nossos conteúdos muito bem trabalhados. Caso contrário, não permitiremos com que o conteúdo do analisando venha para a sessão.

Quer saber quando um psicanalista está “evitando” o conteúdo do analisando? Quando impossibilita esta liberdade. Quando fala, discursa ou orienta. Quando insere “novas técnicas”. Quando traz para o setting, manejos oriundos de outras abordagens.

Tudo isso é defesa. Defesa de si mesmo.

Se quisermos que o analisando fale livremente, antes, temos que ter a capacidade de falarmos livremente – e nos escutarmos (na nossa própria análise). Somente assim estaremos preparados para suportar com o outro, uma série de conteúdos inconscientes que serão revelados na sessão psicanalítica.

Fabricio Tavares – Psicanalista
Instagram e facebook: @fabriciotavarespsicanalista
(41) 999201774

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *